Marketing / Negócios

A Microsoft está pronta para um mundo pós Windows?

abril 3, 2018

Tags:, , , , ,

Espero que sim, porque certamente esse mundo está mais próximo do que a Microsoft imaginava.

Vamos ver o que a empresa fala sobre o assunto e colocando o nosso ponto de vista em determinados trechos.

“Queremos mudar de pessoas que precisam do Windows para pessoas que escolhem o Windows e assim para pessoas que amam o Windows. Esse é o nosso objetivo”, disse o CEO da Microsoft, Satya Nadella, há três anos.

Na época, a Microsoft estava divulgando mais detalhes sobre o Windows 10 e surpreendendo pessoas com tecnologias como o headset HoloLens. Foi um momento emocionante de oportunidade e otimismo que fez com que a Microsoft apostasse tanto em pessoas que amavam o Windows que o Windows 10 estaria rodando em 1 bilhão de dispositivos dentro de três anos. Nenhuma das apostas funcionou – o que é bom, porque o Windows como conhecemos não é mais crítico para o sucesso futuro da Microsoft.

A Microsoft anunciou uma nova reorganização ontem. É a quarta grande mudança dentro da empresa nos últimos cinco anos e o mais significativo do mandato de Nadella. A Microsoft está dividindo o Windows em toda a empresa, em diferentes partes. Terry Myerson, um veterano de 21 anos da Microsoft, está deixando a empresa e seu papel como chefe do Windows. O desenvolvimento principal do Windows está sendo transferido para uma equipe de nuvem e inteligência artificial, e uma nova equipe assumirá as “experiências” que os usuários do Windows 10 veem como aplicativos, o menu Iniciar e novos recursos. Há muito embaralhamento acontecendo, mas o memorando de 1.300 palavras de Nadella deixa poucas dúvidas sobre o verdadeiro futuro da empresa: nuvem e inteligência artificial.

Isso com certeza vai levar o Windows para um novo patamar de experiência de usuário, principalmente nas interações com o One Drive e Apps que já fazem parte do dia a dia de cada consumidor.

Família de dispositivos Microsoft Surface, Microsoft

O WINDOWS FOI DEMOTIZADO E DIVIDIDO DENTRO DA MICROSOFT.

A primeira grande pista sobre o futuro do sistema operacional é que o “Grupo de dispositivos e janelas” da Microsoft agora é “Experiências e dispositivos” e inclui o Windows, o Office e o Surface. O chefe do escritório da Microsoft, Rajesh Jha, está agora encarregado de toda esta divisão, com Joe Belfiore delegado para liderar as experiências do Windows. Myerson costumava se sentar na equipe de liderança sênior da Microsoft, mas ninguém com o Windows em seu cargo está lá para substituí-lo. Jha, que também é um líder sênior, está simplesmente expandindo suas responsabilidades para cuidar de uma equipe maior, onde o Windows é uma fatia menor do bolo maior.

As experiências, em vez do Windows, também são uma grande dica de como a Microsoft e o Nadella vêem o sistema operacional no aspecto mais amplo da computação em geral. O Android tem 2 bilhões de dispositivos ativos por mês e mais de 1 bilhão de dispositivos da Apple estão em uso ativo em todo o mundo. A Microsoft sempre alega que 1,5 bilhão de pessoas usam o Windows, embora haja sinais de que o número possa estar caindo. O Windows 10 já está sendo executado em mais de 600 milhões de dispositivos (a partir de novembro), incluindo PCs, tablets, consoles Xbox One, fones de ouvido HoloLens e até mesmo dispositivos e telefones do Surface Hub. As próprias tendências do Windows da Microsoft mostram que o Windows 10 estava rodando em 45% de todos os PCs e tablets em novembro, o que significa que o uso geral do Windows pode ter caído para 1,33 bilhão.

Seis milhões de usuários do Windows 10 ainda são um grande número, mas é pouco mais da metade da meta original da Microsoft. A Microsoft teve três anos para atingir a meta de 1 bilhão, mas foi claramente baseada no sucesso do Windows Phone. O fabricante de software desistiu de seu objetivo após apenas um ano, culpando as falhas de seus negócios no telefone. A falta de mobilidade significou que o Windows não é mais o modo dominante de as pessoas usarem computadores, e a Microsoft agora busca as “experiências” entre os dispositivos. Até mesmo a divisão do Xbox está se preparando para jogos na nuvem e um futuro além do próprio Xbox.

Será que o console vai morrer? Ou se integrar? Eu fico me perguntando, quem vai fazer isso primeiro, a Sony integrando o PlayStation á uma TV ou a Microsoft integrando ao Windows X.

A MICROSOFT DESISTIU DOS ESFORÇOS EM SE APROXIMAR  DO CONSUMIDOR.

A Microsoft, que se retira de seu objetivo ousado, é apenas uma parte da tentativa e do fracasso de atrair consumidores por anos, e faz parte de um recuo mais amplo no último ano. A gigante do software matou a Groove Music, sua plataforma de streaming de música, em favor do Spotify. O Kinect está oficialmente morto e a Microsoft finalmente confirmou a morte do Windows Phone também. A Microsoft agora quer que os dispositivos iOS e Android funcionem melhor com o Windows 10, e a empresa reconheceu que não é mais a plataforma de computação mais usada, graças à ascensão do celular.

O Windows 10 tem se concentrado em “criadores de conteúdo” no último ano, com duas grandes atualizações que adicionaram a realidade mista, a criação de 3D Paint e melhorias na caneta / toque. Os aplicativos universais do Windows deveriam ser o futuro do Windows em vários dispositivos, mas eles falharam em grande parte sem que um sistema operacional móvel amplamente usado seja executado. Os desenvolvedores estão principalmente apenas reempacotando aplicativos de desktop existentes para a Microsoft Store, e o futuro dos aplicativos do Windows 10 parece ser fundamentalmente relacionado a aplicativos da web.

O Windows é certamente mais respeitado do que há três anos atrás. O Windows 10 tem sido um retorno impressionante para se formar a partir do polêmico lançamento do Windows 8.

A Microsoft ouviu os que ainda usam o Windows e adaptou o sistema operacional com sabedoria. Mas, embora a Microsoft sempre tenha sido obcecada pelo Windows, especialmente sob Ballmer, fica claro que Nadella vê o futuro de forma diferente – e com razão. O negócio de nuvem da Microsoft cresceu enormemente, competindo diretamente com o domínio da Amazon e superando o Google.

O que eu penso? Um inevitável catch up! Espero que tenham acordado a tempo, afinal essa é uma empresa admirável e que fez parte de um movimento transformador da era digital (em um primeiro momento).

E vocês, o que acham? Curte aí e comenta!

0 likes

Author

Fabio Purcino

A escola me fez administrador, e a vida marketeiro. Estagiário, por opção, é o que me define até então.

Seu e-mail não será divulgado